O itinerário da queda na vida de Davi

Introdução:

Davi, o segundo e maior rei de Israel, é alvo de uma descrição da parte de Deus que, com certeza, qualquer um gostaria de receber. A seu respeito, disse Deus: “… ‘Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração; ele fará tudo o que for da minha vontade’” (At 13.22). Entretanto, sua vida não foi livre de quedas e tropeços. Erros e pecados também marcam sua história, trazendo graves conseqüências. É sobre isso a ministração da célula de hoje.

Desenvolvimento do ensino:

Texto-base: 2Samuel 11.1-27

Na história do adultério de Davi com Bate-Seba, o pecado não surge e desaparece repentinamente, mas trilha um caminho até ser concebido e, depois de consumado, deixa rastros muito fortes. Há um itinerário do pecado na vida de Davi, assim como também pode existir em nossas vidas, o qual é constituído dos seguintes passos:

1. Ociosidade

Decorrido um ano, no tempo em que os reis costumam sair para a guerra, enviou Davi a Joabe, e seus servos, com ele, e a todo o Israel, que destruíram os filhos de Amom e sitiaram Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém. Uma tarde, levantou-se Davi do seu leito e andava passeando no terraço da casa real… (v.1,2).

Um primeiro passo rumo ao pecado é a ociosidade. Diz o seguinte um ditado popular: “Mente vazia é oficina do diabo”. A ausência de ocupações nos deixa mais vulneráveis e propícios a situações de risco. No caso de Davi, isso não se deu porque não tinha o que fazer, mas porque foi relapso para com suas obrigações de rei, o que é um agravante. Ao invés de sair para a guerra à frente de seu exército, como em outras ocasiões e conforme o costume da época, ele passou essa tarefa para o comandante e ficou em casa, passando o seu tempo a dormir e a passear. Nesse momento de ociosidade irresponsável, surgiu uma oportunidade para a tentação.

  1. Você se percebe mais vulnerável ao pecado em momentos de ociosidade?
  2. Existem, em sua vida, momentos de ociosidade em que você se permite envolver por situações de risco? Quais são esses momentos?
  3. Você tem sido relapso para com algum compromisso ou responsabilidade de modo a gerar momentos de ociosidade?

2. Tentação

 … daí viu uma mulher que estava tomando banho; era ela mui formosa. Davi mandou perguntar quem era. Disseram-lhe: É Bate-Seba, filha de Eliã e mulher de Urias, o heteu (v.2,3).

Quando passeava folgada e distraidamente pelo terraço de seu palácio, Davi se deparou com a tentação. Ele viu uma mulher muito bonita e atraente tomando banho. Essa visão despertou cobiça em seu coração. Ele desejou possuir aquela mulher, apesar das muitas esposas e concubinas que já tinha. Quis saber quem era e mandou alguém obter essa informação. Ao descobrir que era uma mulher casada, não recuou em suas intenções. Estava totalmente envolvido pela lascívia e se deixando vencer pela tentação. O segundo passo em direção ao pecado estava sendo dado.

  1. A Bíblia, em 1Jo 2.16, fala a respeito da concupiscência dos olhos. Você percebe desejos (tanto lícitos quanto ilícitos) sendo despertados em seu coração quando vê algo que lhe chama a atenção? Em que situações você é tentado por algo que vê?
  2. Como você tem lidado com as tentações provocadas por desejos ilícitos?

3. Pecado

Então, enviou Davi mensageiros que a trouxessem; ela veio, e ele se deitou com ela. Tendo-se ela purificado de sua imundícia, voltou para sua casa (v.4).

Mesmo sabendo que cometeria adultério ao se deitar com Bate-Seba, Davi, cego pelo desejo, envia mensageiros para buscá-la. Ela, provavelmente consciente do que estava acontecendo, aceita ir ao palácio. O pecado é consumado. O terceiro passo é dado. Após o ato, a história diz que ela tão-somente voltou para casa. Talvez tanto Bate-Seba quanto Davi estivessem pensando que o acontecido não passaria de uma simples noite. Mal esperavam pelas conseqüências que viriam.

  1. Pense: quais são os pecados que você, conscientemente, tem cometido?
  2. Você tem tratado seus pecados simploriamente, achando que eles não trarão conseqüências negativas para sua vida?

4. Conseqüências imediatas

A mulher concebeu e mandou dizer a Davi: Estou grávida (v.5).

A consumação do pecado não é o último passo deste itinerário. Assim como o pecado não surgiu de repente na vida de Davi, também não saiu sem deixar rastros. Conseqüências imediatas foram o quarto e próximo passo. Após voltar para casa, Bate-Seba percebe-se grávida e envia essa notícia para Davi. Não tinha sido apenas uma simples noite. Uma gravidez exporia e perpetuaria o adultério cometido. Logo, todos saberiam que Bate-Seba estava grávida e um certo mal-estar quanto à paternidade da criança surgiria, já que Urias, seu marido, estava no campo de batalha. Diante dessa possibilidade de vergonha é que Davi dá o quinto passo.

  1. Você consegue identificar em sua vida conseqüências que surgiram logo após você ter pecado? Você está passando por esse tipo de situação hoje?
  2. No Sl 42.7, está escrito que “um abismo chama outro abismo”. Isso parece ter sido verdade na vida de Davi. A ociosidade chamou a tentação; a tentação chamou o pecado; e o pecado chamou a gravidez como conseqüência, apesar de Bate-Seba não estar em um período de muita fertilidade; o texto bíblico diz que ela “havia acabado de se purificar da impureza da sua menstruação” (2Sm 11.4 – NVI). Mesmo com possibilidades tão baixas, o “abismo” da gravidez foi chamado. Você já experimentou algo semelhante em sua vida, uma situação em que um erro atraiu vários outros, até mesmo os menos prováveis?

 5. Tentativas de encobrimento

Ao perceber que seria envergonhado, Davi se esforça para encobrir o seu pecado. Por duas vezes, ele tenta fazer com que Urias se deite com sua mulher Bate-Seba, para que, assim, recebesse os créditos de sua gravidez (vv.6-13). Como Urias, mesmo embebedado, não vai para sua casa, o rei parte para um plano que resolveria o seu problema: ordena a Joabe que coloque Urias na linha de frente da batalha, onde o combate estivesse mais violento, para que morresse (vv.14-24). Com Urias morto, Davi poderia, a tempo, tomar Bate-Seba como esposa, e a criança seria apontada como fruto desse casamento. Joabe obedece às ordens de Davi e Urias morre. Bate-Seba, então, torna-se mulher de Davi e lhe dá um filho (v.27). O plano havia, aparentemente, funcionado.

  1. Você lembra alguma ocasião em que tentou encobrir um erro ou pecado? Foi bem-sucedido?
  2. Pense: há hoje, em sua vida, algum pecado encoberto?

6. Endurecimento do coração

Disse Davi ao mensageiro: Assim dirás a Joabe: Não pareça isso mal aos teus olhos, pois a espada devora tanto este como aquele; intensifica a tua peleja contra a cidade e derrota-a; e, tu anima a Joabe (v.25).

O sexto e último passo deste itinerário é resultado de todos os outros. Foi crescendo e tomando forma ao longo do processo. Passo a passo, o coração de Davi foi se cauterizando e perdendo a sensibilidade ao pecado. No final, estava completamente endurecido. Quando recebeu de um mensageiro a notícia de que Urias estava morto, mesmo consciente de que era o responsável por isso, teatralmente ordenou-lhe dizer a Joabe que não ficasse preocupado, pois isso era algo muito comum em uma guerra. Ao contrário, o comandante deveria intensificar o ataque contra a cidade e derrotá-la. O assassinato de Urias e o adultério não estavam lhe pesando no coração. Tanto é que, passado o luto de Bate-Seba por seu marido, Davi tomou-a naturalmente como esposa, consumando, assim, o seu plano. Isso tudo, entretanto, foi mal aos olhos do Senhor (v.27).

  1. O pecado endurece o coração. Você se percebe insensível a algum tipo de pecado?

Conclusão:

Por causa de um primeiro passo de ociosidade, Davi pecou e chegou ao sexto passo do endurecimento do coração. A vida se dá através de processos. Não há fatos isolados; tudo está interligado. Por isso, devemos estar atentos aos mínimos erros e desvios, pois eles poderão trazer conseqüências maiores. As pequenas raposas talvez sejam as mais perigosas (Ct 2.15).

Desafios:

  1. Elimine de sua vida os momentos de ociosidade que o levam a uma situação de risco;
  2. Tome cuidado com o que coloca diante dos olhos; isso pode despertar desejos ilícitos em você;
  3. Arrependa-se dos pecados dos quais você tem consciência e tenha em mente que o pecado traz conseqüências;
  4. Confesse a Deus e/ou a uma pessoa cristã e de confiança os pecados que estão encobertos (1Jo 1.9; Tg 5.16);
  5. Peça a Deus que lhe dê sensibilidade ao que lhe desagrada.
Anúncios

Sobre insightscristaos

Samyr Trad é teólogo, administrador e pastor na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.
Esse post foi publicado em Lições de célula. Bookmark o link permanente.

2 respostas para O itinerário da queda na vida de Davi

  1. Karla Antão disse:

    Oi Pr. Samyr! Parabéns pelo estudo e pela pregação de domingo! Foi um abrir de olhos! Obrigada por compartilhar!
    Achei um outro estudo que é um bom complemente ao que se refere à ociosidade que você mencionou! Também dá uns bons alertas!
    http://iprodigo.com/traducoes/entretenimento-e-em-que-nos-tornamos.html

    Deus abençoe!

    Curtir

  2. Pingback: O itinerário do pecado na vida de Davi | Circuito 4×4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s