Jesus é a vida, parte 1: Visões populares sobre como desfrutar a vida

Introdução:

Na reunião da semana passada, vimos por que e como Jesus é a verdade. Jesus é a verdade porque ele assim disse e suas obras testemunham a favor disso. Jesus é verdade que pode ser conhecida por meio de revelação, razão e relacionamento. Você quer conhecê-lo? Então, creia e entregue a isso.

Na lição de hoje, vamos começar a abordar a última das três afirmações de Jesus que compõem esta série. Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim” (João 14.6). Além disso, também disse, em João 10.10: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente”. Jesus é a vida e veio para que tenhamos vida plena. Entretanto, há grande diferença entre o que Jesus e o mundo dizem sobre o que é vida plena, sobre como desfrutar a vida. Nesta primeira parte, vamos ver o mundo diz sobre isso. Que o Espírito Santo abra os olhos dos nossos corações!

Desenvolvimento:

1.    Em sua opinião, o que é vida plena? Como se deve desfrutar a vida?

Essa é uma pergunta para a qual o mundo tem respostas na ponta da língua. Na verdade, a palavra “mundo” diz respeito a um estilo de vida à parte de Deus e sua vontade. Assim, há um estilo de vida mundano e um segundo o padrão divino, os quais são opostos entre si. Tiago escreveu: “Vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus” (Tiago 4.4). João também escreveu: “Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo – a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens – não provém do Pai, mas do mundo” (1João 2.15-16).

2.    O que o mundo diz sobre o que é vida plena? Qual é o estilo do mundo de se desfrutar a vida?

De acordo com o texto de João que lemos, o estilo do mundo de se desfrutar a vida é movido pela cobiça da carne, cobiça dos olhos e ostentação dos bens. Em outras palavras, para o mundo a vida plena é a que se dá, por exemplo, em função do ego, do prazer e do dinheiro, ou, em palavras rebuscadas, baseada no egoísmo, no hedonismo e no mamonismo. Vamos olhar para cada um desses pontos de perto.

1. Em função do ego

No mundo, as pessoas vivem em função de si mesmas. Cuidam de seus próprios interesses e procuram o que é bom para elas. Isso é bem ilustrado na Parábola do Bom Samaritano (Lucas 10.30-35), tanto pelos ladrões quanto pelo sacerdote e o levita. Os ladrões tomaram o que pertencia ao homem para si. O sacerdote e o levita passaram pelo outro lado quando viram o homem quase morto, não se importando em ajudá-lo. Todos esses foram movidos pelo egoísmo, pensaram apenas em si mesmos.

Quanto a isso, Paulo escreveu o seguinte aos Filipenses: “Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros” (Filipenses 2.3-4). A proposta de vida do Reino de Deus é diametralmente oposta à do mundo.

2. Em função do prazer

Uma das filosofias de vida do mundo é o hedonismo. Do grego “hedonê”, que significa “prazer”, “vontade”, o hedonismo afirma ser o prazer o alvo maior da vida humana. Em linguagem atual, podemos dizer que o hedonista é aquele que afirma: “Eu mereço ser feliz!”. De fato, as pessoas de hoje buscam angustiadamente pela felicidade, que pode ser descrita como o prazer da realização de suas vontades.

Em sua segunda carta a Timóteo, Paulo faz uma descrição abrangente dos homens dos últimos dias. Uma de suas características, de acordo com o apóstolo, é serem “mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus” (2Timóteo 3.4). Escrevendo aos Filipenses, ele se refere a pessoas cujo deus é o estômago, ou seja, que vivem em função dos desejos do corpo (Filipenses 3.19).

Quanto a isso, a fala de Paulo aos Tessalonicenses foi: “Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus” (1Tessalonicenses 4.4-5). Apesar do texto se referir especificamente à imoralidade sexual, pode ser aplicado a todo e qualquer descontrole na busca pelo prazer.

3. Em função do dinheiro

Vivemos em uma sociedade capitalista. Assim, o poder está nas mãos daqueles que têm dinheiro e muitos, na sede pelo poder, vivem em função dele. O poder e o fascínio exercido pelo dinheiro são tão grandes, que Jesus se referiu a ele na categoria de “deus”, ao dizer: “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro” (Mateus 6.24). No original grego, a palavra para dinheiro é “Mamom”, a partir de que pode-se chamar a devoção ao dinheiro de “Mamonismo”. De fato, alguns vivem tanto em função de dinheiro, que o elevaram à posição de “deus” em suas vidas.

Quanto a isso, Paulo escreveu a Timóteo: “Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos” (1Timóteo 6.9-10).

Conclusão:

O estilo de vida do mundo é antagônico ao padrão do Reino de Deus. Enquanto as pessoas do mundo vivem em função de si mesmas, do prazer e do dinheiro, o discípulo de Jesus é chamado a negar-se a si mesmo e crucificar a sua carne. Jesus disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará. Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?” (Mateus 16.24-26). Paulo também escreveu: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2.20).

  1. Qual é o seu estilo de vida? Como você tem desfrutado a vida?
  2. Jesus te chama a negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz e segui-lo! Crucifique a sua carne e deixe que ele viva através de você!
Anúncios

Sobre insightscristaos

Samyr Trad é teólogo, administrador e pastor na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.
Esse post foi publicado em Lições de célula. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Jesus é a vida, parte 1: Visões populares sobre como desfrutar a vida

  1. Gostei muito, para Gloria de Deus consegui visitar 3 vezes a Igreja do pastor Cho na Coreia do Sul, e muito chocante , tudo e diferente, quando esta entrando no templo imediatamente se percebe a diferença, dentro do auditorio ninguem conversa , as pessoas estão orando ou lendo a Biblia, fiquei sumando todos os dias 90 dias, analisando, perguntando, conhecendo cada reunião,orando e jejuando, e muito diferente, se você quer conhecer ou se o grupo de sua igreja quer conhecer nospodemos organizar uma turma pequena de minimo 20 pessoas e visitar todas as reunios, os cultos de domingo, o culto de madrugada a montanha de oração aonde tem 3 cultos diarios , cultos de cura,libertação e podemos visitar as outras montanhas de oração e navolta podemos visitar alguma igreja em celulas grande em USA ou em outro pais..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s