Jesus é a verdade, parte 2: Por que e como Jesus é a verdade?

Introdução:

Na lição da semana passada, vimos quais são os conceitos contemporâneos sobre a verdade. Para o ser humano de hoje, a verdade é plural, relativa e individual, ou seja, ela não existe. Na lição de hoje, vamos ver o contraponto dessas afirmações, abordando por que e como Jesus é a verdade. Que o Espírito da verdade a revele a nós!

Desenvolvimento:

Para um mundo que afirma que a verdade não existe, Jesus disse que ele é a verdade (João 14.6). Além disso, disse também que veio para testemunhar da verdade e que aqueles que são da verdade o ouvem (João 18.37). Por fim, disse, quando orava, que a palavra do Pai é a verdade (João 17.17).

Por que Jesus é a verdade? De maneira simples, podemos responder que é porque ele assim disse. Se ele é digno de confiança, ou a Bíblia Sagrada é, essa afirmação é verdadeira. Entretanto, há outra evidência disso: a obra que ele fez e continua a fazer. João escreveu, no final do seu Evangelho, que registrou alguns dos sinais miraculosos que Jesus fez para que as pessoas cressem que ele é o Filho de Deus (João 20.30-31). Transformação de água em vinho; cura do filho de um oficial à distância; cura de um paralítico; multiplicação de pães e peixes; andar sobre as águas; cura de um cego de nascença; e a ressurreição de Lázaro. Quantos milagres que atestam a veracidade e a fidedignidade de Jesus e suas palavras! Ele mesmo disse: “Creiam no que lhes digo: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Se vocês não crêem por causa das minhas palavras, creiam pelo menos por causa das coisas que eu faço (João 14.11, NTLH).

1.    Quais são as obras e os milagres que Jesus tem feito em sua vida, ou que você tem visto nas vidas de outras pessoas, que atestam que o que ele disse é verdadeiro e que, assim, ele é a verdade?

Como Jesus é a verdade? Essa resposta pode ser dada através de três afirmações. São elas:

1. Jesus é verdade revelada

Jesus é a verdade de Deus revelada. João escreveu em seu Evangelho: “Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade. (…) Ninguém jamais viu a Deus, mas o Deus Unigênito, que está junto do Pai, o tornou conhecido” (João 1.14,18). Jesus, sendo Deus conosco e Deus encarnado, manifestou aos seres humanos a glória de Deus, tornando-o conhecido. Assim, ele revelou, em si e através de si, ou seja, em sua pessoa e obra, a verdade de Deus.

Se Jesus é verdade revelada, a única maneira de se conhecê-lo e reconhecê-lo como tal é através de revelação. Uma verdade revelada não é adquirida mediante esforços próprios; ela é concedida. Observe a seguinte parte de um diálogo entre Jesus e os seus discípulos, registrado por Mateus: “E vocês?”, perguntou ele. “Quem vocês dizem que eu sou?”. Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Respondeu Jesus: “Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus” (Mateus 16.15-17).

2.    Você já recebeu a revelação de que Jesus é a verdade? Se sim, como foi essa experiência?

2. Jesus é verdade cognitiva

Além de verdade revelada, Jesus também é verdade cognitiva. Isso quer dizer que a verdade de Jesus também pode ser conhecida através da mente, pelo uso da razão. Isso pode soar estranho aos ouvidos de alguns. Mas conhecer Jesus não é uma questão de fé? Como eu poderia conhecê-lo pela razão?

A idéia de que fé e razão são opostos irreconciliáveis não é bíblica. Como diz John Stott, pastor e teólogo inglês, crer também é pensar. Em sua carta aos Romanos, Paulo escreveu sobre oferecermos a Deus um culto racional (Romanos 12.1). A palavra grega traduzida por racional é “logike”, que vem de “logikos”. Dessas palavras gregas é que tem origem a palavra portuguesa “lógica”. Assim, o nosso relacionamento com Deus, o nosso conhecimento dele, passa pela lógica e pela razão. Entretanto, não se trata da lógica mundana, ou da razão puramente humana, a qual está corrompida pelo pecado. Trata-se da lógica e razão divinas, que estavam em Adão e Eva quando foram criados à imagem e semelhança de Deus e eram perfeitos. Com a queda, essas qualidades foram corrompidas, mas não perdidas. O alvo de Deus com a salvação é resgatá-las da corrupção do pecado. É sobre isso que Paulo escreveu na continuação do texto de Romanos acima citado, quando ele se refere à transformação da vida pela renovação da mente (Romanos 12.2). Segundo Paulo, somos transformados do padrão mundano para o divino na medida em que nossa maneira de pensar é renovada, nossa lógica é mudada. Pensar corretamente faz parte da espiritualidade cristã. Jesus também é verdade cognitiva.

3.    Você tem usado sua mente, sua capacidade de pensar logicamente, para conhecer a verdade de Jesus? Quais são as experiências que você já teve nesse sentido?

3. Jesus é verdade relacional

Jesus é verdade revelada, cognitiva e relacional. Ao dizer “eu sou a verdade”, ele afirmou que a verdade não é simplesmente uma idéia, mas, também, uma pessoa. Assim, a verdade não é apenas algo a ser conhecido pela obtenção de informações, mas, também, pelo relacionamento, que conduz à intimidade. Não se conhece a verdade de Jesus apenas lendo a respeito dele. Essa verdade também deve ser conhecida na dinâmica das experiências relacionais.

Na Bíblia Sagrada, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, o verbo “conhecer” não tem por significado tão-somente obter informações a respeito de alguma coisa ou alguém. Além disso, também aponta para a relação sexual entre um homem e sua esposa, um momento de profunda intimidade. Por exemplo, em Gênesis 4.1, está escrito: “E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu, e teve a Caim” (ARC). Além disso, em Mateus 1.24-25, está escrito: “E José, despertando do sonho, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher, e não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe o nome de Jesus” (ARC). Jesus é verdade a ser conhecida relacionalmente.

4.    Você tem buscado conhecer a verdade de Jesus relacionalmente? Como está o seu relacionamento com ele?

Conclusão:

Jesus é a verdade porque ele disse e porque suas obras, ontem e hoje, atestam isso. Por ser revelada, essa verdade só pode ser de fato conhecida, em um primeiro momento, através de uma revelação de Deus. Por ser cognitiva, essa verdade pode e deve ser conhecida através da reflexão racional. Por ser relacional, essa deve ser conhecida através da intimidade de um relacionamento rotineiro.

  1. Você crê que Jesus é a verdade?
  2. Como você tem buscado conhecê-lo? Em que pode melhorar nisso?
  3. Como poderia se dedicar a conhecê-lo daqui para a frente?
Anúncios

Sobre insightscristaos

Samyr Trad é teólogo, administrador e pastor na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.
Esse post foi publicado em Lições de célula. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Jesus é a verdade, parte 2: Por que e como Jesus é a verdade?

  1. Tarcísio C. Guimarães Fh. disse:

    Uma das melhores séries de estudo já “presenteadas” pela Igreja Batista Central de BH.
    Desde que assumi a responsabilidade por uma célula, não tinha me deparado com uma série tão desafiadora, bem estruturada, concisa e que instiga tanto a reflexão.
    Excelente é o mínimo, que posso falar.

    Curtir

  2. Tarcisio,acaso voce estudou no Iemg?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s