Como nossos pais

“Quando os homens do lugar lhe perguntaram sobre a sua mulher, ele disse: ‘Ela é minha irmã’. Teve medo de dizer que era sua mulher, pois pensou: ‘Os homens deste lugar podem matar-me por causa de Rebeca, por ser ela tão bonita'” (Gênesis 26.7).

Pais deixam heranças para seus filhos. Essas heranças, entretanto, não são apenas materiais. Também são comportamentais. Geralmente, os filhos repetem o comportamento de seus pais, especialmente os condenáveis.

Essa foi a experiência de Isaque, filho de Abraão. Seu pai, em duas ocasiões, sentindo-se inseguro e ameaçado por causa da beleza de Sara, sua mulher, mentiu, dizendo ser ela sua irmã. Anos mais tarde, Isaque, em situação semelhante, usou do mesmo artifício. Rebeca, sua esposa, também era uma mulher bonita e, por isso e por insegurança, disse aos homens de Gerar que ela era sua irmã.

É interessante notarmos as heranças que recebemos de nossos pais, sejam materiais ou comportamentais, boas ou más, e, conscientemente, escolhermos aquelas que farão parte de nossas vidas e aquelas que serão descartadas. Afinal, devemos viver as nossas vidas e não as de nossos pais. Não precisamos concretizar a letra da música de Belchior, interpretada por Elis Regina, “Como nossos pais”, que diz:

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo,
Tudo o que fizemos
Nós ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Como os nossos pais.

Confira o vídeo da música:

Anúncios

Sobre insightscristaos

Samyr Trad é teólogo, administrador e pastor na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.
Esse post foi publicado em Devocionais. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Como nossos pais

  1. Jussara A. C. Freire disse:

    Para fazer diferente primeiro é preciso compreender porque fizeram isso ou aquilo. Suas histórias podem explicar pelo menos em parte suas ações. No meu caso cada descoberta nova que faço nas histórias de meus pais, mesmo antes de se conhecerem , me permite olhá-los com mais amor e carinho. E ainda percebo que apesar de toda genética, de toda vivência e aprendizado com eles, ainda assim eu sou única e por isso a minha história com minhas filhas trilham caminhos próprios.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s