O fim das tribulações

“É justo da parte de Deus retribuir com tribulação aos que lhes causam tribulação, e dar alívio a vocês, que estão sendo atribulados, e a nós também. Isso acontecerá quando o Senhor Jesus for revelado lá dos céus, com os seus anjos poderosos, em meio a chamas flamejantes” (2Tessalonicenses 1.6-7).

A vida poderia ter como sinônimo a palavra “tribulação”. Os problemas de uma pessoa podem começar em sua concepção, durante a sua gestação, em seu parto ou imediatamente após ele. Tribulações podem marcar toda a história de um ser humano.

Diante disso, duas atitudes são possíveis de serem tomadas. A que mais tenho visto por aí, infelizmente, é a de se colocar como vítima das intempéries da vida. Pessoas com essa atitude, terceirizam a responsabilidade pelo que lhes acontece e vivem se queixando. São praticantes da filosofia do “ó vida, ó ceús, ó azar!” da hiena Hardy. A segunda possível atitude é assumir a responsabilidade pela própria vida e, ao invés de queixas, dar graças a Deus pelas oportunidades.

Muitos querem se ver livres de todas as tribulações neste momento. Certamente, não há erro nisso. Afinal, quem gosta de viver atribulado? Entretanto, na luta contra os problemas, temos que ter consciência da realidade dos fatos.

Vivemos em um mundo caído, somos maus e estamos cercados de pessoas más. Assim, a única real possibilidade de sermos completamente libertos das tribulações é uma completa transformação do mundo e das pessoas, o que nos inclui. Quando isso irá acontecer?

De acordo com o apóstolo Paulo, no texto bíblico acima citado, essa transformação se dará na segunda vinda de Jesus à terra. Quando Cristo voltar, ele nos dará alívio de nossas tribulações. Por isso, até que isso aconteça, ao invés de nos posicionarmos como vítimas das intempéries, devemos lutar com perseverança e fé. Esse é o elogio que Paulo faz à igreja dos tessalonicenses: “Por esta causa nos gloriamos em vocês entre as igreja de Deus pela perseverança e fé demonstrada por vocês em todas as perseguições e tribulações que estão suportando” (2Tessalonicenses 1.4). Vamos agir assim?

Anúncios

Sobre insightscristaos

Samyr Trad é teólogo, administrador e pastor na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.
Esse post foi publicado em Devocionais. Bookmark o link permanente.

2 respostas para O fim das tribulações

  1. Wânia Peixoto disse:

    Vamos agir assim!!!
    Hum… mas tem hora que é tão difícil não dá uma reclamadinha, uma desabafada, mesmo sabendo que não é o melhor e que não mudará nada!
    Mas vamos seguindo firmes na força do Senhor!

    Curtir

  2. Rogério Matos disse:

    Pr. Samyr,

    isso me fez lembrar da passagem do Evangelho de João 16.33b onde Jesus disse aos seus discipulos: “No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”
    De inicio passar por tribulações parece ser algo sem propósito e tão ruim, mas a perseverança e fé nos motiva a vencer. As promessas e exortações contidas na Palavra de Deus nos dá forças para atravessar os desertos tendo o entendimento que nosso carater é moldado por Deus. Muitos habitos ruins podem ser tratados por Deus em meio a tribulações tais como; a murmuração, a incredulidade…mas se não buscarmos forças de Deus para passar por estas situações podemos cair ao inves de vencer.
    Ter a compreensão de que todas as coisas cooperam para o nosso bem (Rm 8.28) ajuda muito a passar pelas tribulações porque sabemos que um dia isso acabará e estaremos juntos com o nosso Deus para sempre!

    Rogério

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s