As parábolas do grão de mostarda e do fermento

Objetivos desta lição:

  • Despertar a célula para o trabalho de expansão do Reino de Deus;
  • Mobilizar a célula a participar da Conferência Missionária da IBC;
  • Mobilizar a célula a se envolver com as atividades e projetos da Central Missionária da IBC.

Introdução:

Para introduzir a presente lição, faça o seguinte quebra-gelo:

  • Compre algumas sementes de mostarda e leve-as para a reunião;
  • Pergunte: alguém já viu ou pegou em uma semente de mostarda?
  • Apresente as sementes para os presentes e deixem-nos verem-nas e manipulá-las;
  • Pergunte: o que essas sementes têm de especial?
  • Procure na internet uma imagem de uma grande planta de mostarda, imprima-a e apresente-a, após as respostas dadas, como a sua resposta: de uma pequena semente surge uma grande planta;
  • Diga: na lição de hoje, vamos ser ministrados por uma parábola que tem como elemento central a semente de mostarda.

Desenvolvimento do ensino:

Texto-base: Mateus 13.31-33 (Nova Versão Internacional)

Leia o texto-base. Logo após, para sua melhor compreensão, exponha as seguintes informações:

  • Essas duas parábolas, juntamente com as outras de Mateus 13, são também chamadas de Parábolas do Reino, por serem iniciadas pela expressão “o Reino dos céus é como” e apresentarem ensinamentos sobre o Reino de Deus, comparando-o com elementos e situações cotidianas da Palestina do século I;
  • O grão de mostarda, apesar de não ser a menor semente conhecida nos dias atuais, era a menor utilizada pelos agricultores e jardineiros da Palestina da época. Por causa disso, havia a expressão  proverbial “como um grão de mostarda”, que era usada quando alguém queria se referir a algo pequeno;
  • Apesar de ser uma pequena semente, um grão de mostarda semeado, em condições favoráveis, poderia gerar uma planta de quase três metros de altura, o que a tornava ainda mais notável entre as sementes e reforçava o seu caráter proverbial. Certamente, uma planta com esse porte poderia ser usada pelas aves para a construção de ninhos;
  • O fermento, como hoje em dia, era uma substância utilizada para se fazer crescer as massas de pães e bolos. Embora em outros textos bíblicos tenha um significado negativo, relacionado ao pecado, nesta parábola, é símbolo de algo positivo.

Posto isso, pergunte:

  1. Tendo em vista as informações expostas, em sua opinião, quais os principais ensinamentos sobre o Reino dos céus que Jesus quis comunicar através destas parábolas?

Após ouvir as respostas, prossiga com a exposição, dizendo:

  • Através da Parábola do Grão de Mostarda, Jesus quis ensinar que o Reino dos céus teria o seu início pequeno e discreto, com alguns poucos discípulos e seguidores na Judéia e Galiléia. Entretanto, quando começasse a crescer, chegaria a se tornar grande e notável, alcançando todas as nações da terra;
  • Através da Parábola do Fermento, além da lição já ensinada anteriormente, Jesus quis ensinar sobre a influência que o Reino dos céus exerceria sobre todas as nações da terra. Semelhantemente a um pouco de fermento que, quando é misturado com uma massa, se espalha por toda ela e a fermenta, fazendo-a crescer, o Reino dos céus se espalharia por toda a face da terra e influenciaria todas as culturas na direção de um crescimento positivo.

Conclusão:

Concluindo, pergunte:

  1. Quais são as aplicações e lições que podemos extrair dessas parábolas para as nossas vidas?

Através das Parábolas do Grão de Mostarda e do Fermento, podemos aprender as seguintes lições de vida:

  • Não despreze os pequenos começos. A partir de um pequeno começo, algo grande pode vir a acontecer. Por exemplo, não despreze um possível pequeno começo de sua célula. Uma célula pode começar pequena e discreta, mas, com o passar do tempo, pode se tornar grande e notável, tendo muitas pessoas sendo discipuladas segundo o Evangelho de Jesus. Para isso, a ação do Espírito Santo e o trabalho do líder e dos demais são necessários;
  • O plano de Deus é que o Reino dos céus chegue a todas as nações da terra, influenciando e transformando suas diferentes culturas. Para tanto, ele conta com a cooperação de cada um daqueles que já fazem parte desse Reino. Jesus disse, em Mateus 28.19 e Marcos 16.15: “Vão e façam discípulos de todas as nações” e “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas”. Além disso, Jesus também disse, em Mateus 9.37: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita”. Como súditos do Reino dos céus, temos que nos disponibilizar a levar o evangelho a todas as pessoas e a todas as nações.  Há muitas pessoas e nações a serem evangelizadas, mas poucos dispostos a trabalhar para isso. Jesus enviou seus discípulos como embaixadores do Reino de Deus. Sobre isso, afirmou Paulo em 2Coríntios 5.20: “Somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio”.

Desafios:

Por fim, lance os seguintes desafios práticos:

  • Nos dias 20 e 21 de novembro, sábado e domingo, acontecerá a Conferência Missionária anual da IBC. Neste ano, o tema será “Haiti: a revolução do amor”, com destaque para as necessidades que esse país tem enfrentado após o terremoto do início do ano e para as oportunidades de serviço e missão lá existentes. Participe de toda essa conferência com o coração aberto e convide seus irmãos em Cristo e colegas de célula para também participarem;
  • Acesse o site da IBC-BH e clique na aba “Missões” do cabeçalho. A partir daí, acesse o link “Nossos missionários”, leia as informações sobre os atuais missionários da IBC e ore por eles. Além disso, envie um email ou carta para os missionários adotados pela sua rede de células;
  • A IBC tem desenvolvido projetos missionários para o Sertão Nordestino, Angola e Haiti. Informe-se sobre isso e participe desses projetos conforme as suas possibilidades. Além disso, participe das viagens missionárias promovidas pela sua rede de células;
  • Envolva-se com projetos de missões urbanas e assistência social, tais como Central na Vila, Criança Feliz e capelania. Para maiores informações, acesse os links correspondentes na aba “Missões” do site da IBC-BH;
  • Se você tem Twitter, siga a Central Missionária (@centmissionaria).
Anúncios

Sobre insightscristaos

Samyr Trad é teólogo, administrador e pastor na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.
Esse post foi publicado em Lições de célula. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s